sexta-feira, 29 de abril de 2016

Refúgio


entro neste quarto húmido,
sinto o teu cheiro,
refúgio por entre este nevoeiro,
preso nesta corrente velha e corroída,

minha mente está moída,
procuro te por entre estes arbustos,
entre medos e sustos,
labirinto temente,

aparece,
foge e tece,
de repente cais nos meus braços,
és a minha eternidade,

crescem em nós laços,
neste mundo desconcertante,
olhando esta sociedade desconcertante,
penso como tu és
realmente maravilhosa,
única e fabulosa.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Espelho de Alma


Em cada palavra que escrevo,
procuro um caminho sem erros,
é como procurar um trevo de quatro folhas,
difícil, mas não impossível,
não tornando-o ilegível,

Em cada som que oiço,
fecho me em inúmeras vibrações,
atravesso um adormecido maroiço,
carrego um dilúvio de emoções,
correntes que me pesam a alma,

Só quero gritar aqui,
libertar me deste desassossego,
correr, correr sem desvanecer,
combater o meu ego,
rasgar estas linhas sem me perder,

Sentir uma explosão de LIBERDADE,
A sobrevivência do meu ser.









 

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Luta Impetuosa



Oiço a água escorregar,
sinto o fervoroso suor destes azulejos,
fujo e refúgio me neste lugar,
perdido neste nevoeiro doentio e penoso,

Lentamente perco me num único desejo,
rasgo esta tenebrosa tempestade,
luto até ao último folgo,
até ao último batimento,
o meu coração respira bondade,
oh alma minha que me estrangula.
Vai te embora oh maldito sentimento!

Estou preso a ti como um insecto numa teia,
como se fosse a tua última ceia,
tento me libertar deste mar revolto,
este monstro que em mim se encontra solto,
quero fugir desta selva moribunda,
cheiro corrosivo que acorrenta suas raízes,

No meu bolso empobrecido carrego uma pequena funda,
ela e eu lutaremos até morrer,
enquanto meu suspiro não ceder,
 sonharei erguer me homem,
sentir o calor daquela flor que um dia colhi,
que um dia em mim senti...










terça-feira, 11 de junho de 2013

Afinidade Temporal

Por entre ventos fortes eu caminho,
chuvas torrenciais,
minha cabeça parece um remoinho,
as folhas que caem parecem furiosas,
as abelhas estão curiosas,
procuram um abrigo para se refugiar,
eu apenas procuro o teu olhar,
sentado a beira-mar,
palpita me memórias fogosas,
lembranças amorosas,
quero cair nesta onda enorme,
ficar enraizado nela,
fustigado por  uma caravela portugesa,
sentir o calor de uma vela acesa,
como se fosse o teu corpo no meu,
as profundezas do teus lábios consomem me,
és a água pura que procuro,
o meu passado, presente, futuro,
a cada minuto,
a cada segundo,
és o meu fruto,
sejas proibido ou não,
quero mergulhar e te encontrar,
posso até morrer numa prisão,
mas eu quero te ter por um momento,
e morrer contigo no tempo.


terça-feira, 10 de julho de 2012

Sentido Único

se eu soprasse,
tu soprasses,
o calor emergia,
se eu tentasse,
se tu tentasses,
estaríamos em harmonia,
eu sou,
tu és,
um céu em meus pés,
sempre me soou,
naquele ouvido em que gritaste,
lábios que amaste,
cada passo meu,
cada batimento teu,
pareciamos uma só onda,
enrolados na espuma da areia,
serias minha sereia,
onde estou?
por onde vim?
vivo triste nesta ponta,
neste beco de prazo,
curto ou longo,
saberei um dia,
momento de um ponteiro,
escondido no teu mealheiro,
esperando o teu baloiçar,
o amor do teu olhar.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Encontros


voar e cair,
saber e perder,
sair ou fugir,
querer,
simplesmente ter,
por onde começar,
rumo a traçar,
quero correr,
sentir o vento partir,
o frio tremer,
agua na ponta dos dedos,
corta medos,
acreditar por palavras,
movimentos ofegam magoas,
mergulho em lagoas,
milagres de abracadabras,
encontrar versos,
um apelo,
um SOS,
anseio por um selo,
carta tua receber,
teu olhar merecer,
brevemente teu,
meu ego,
beijo meu.

domingo, 6 de novembro de 2011

Minha Maré


esse teu olhar,
eleva maresia,
destroi o chão que piso,
abres uma via,
perdoas o meu mar,
revolto,
adverso,
colhes de mim um verso,
cada letra num momento solto,
apaixonado por este alfabeto,
tempo discreto,
que tu desesperas,
anseias,
pequeno jasmim,
traço de mim,
pisca me o teu imaginário,
grande oceanário,
onde tu,onde eu,
vamos nos perder,
aceder,
para que sejamos uma só estátua,
minha
tua....